Idéias e mudança delas

Caros leitores,

Nesse longo período de recesso, fiz o que faço de melhor: Assisir filmes. E foram muitos. Em várias vezes, repetir doses já apreciadas anteriormente mas, também arrisquei conhecer novos filmes.Segue abaixo, alguns pequenos comentários.
Cidade dos sonhos:
Como já havia dito, esse filme foi um grande desafio para mim. Não pelo nível de complexidade em si, mas como uma nova e diferente forma de se fazer cinema. E eu, que pregava beleza e ordem na sétima arte, fiquei meio atordoado ao assisir “Cidade dos Sonhos”. E depois de muita observação, concluí que existe beleza até no esquisito. Lynch me fez ver isso. E agora, estou correndo atrás para apreciar outras obras suas, como: “A Estrada Perdida”, “Império dos Sonhos” (Continuação a nível de linha de pensamento de “Cidade dos Sonhos”), “O Homem Elefante”, entre outros. “Cidade dos Sonhos” simplesmente tornou-se um dos filmes que mais gosto. Magicamente, sinto-me vitorioso.
–> Breve uma crítica completa no Cinema com rapadura.
Nota: 9/10

 

Wall-e:
Esse pequeno filme, é uma das maiores obras feitas no cinema. Profundo, intenso e eficaz, “Wall-e” tornou-se o melhor filme de animação e, se “The Dark Knight” nem “Austrália” ou outras possíveis obras não surpreenderem, será o melhor filme do ano. Siplesmente encantador.
–> E eu pensando que a Pixar chegou no limite!
Nota: 10/10

Batman Begins:
Em tempos de “The Dark Knight”, senti a necessidade de reassistir o batman anterior. Infelizmente ele caiu muito no meu conceito. O filme, apesar de um roteiro legal e um ótimo diretor, erra muito. Muitas vezes, o texto resume-se a frases de efeito apáticas e o que era para ser um humor ágil, torna-se extenso e prolixo; além de lições de moral batidas e sem graça.
Christopher Nolan, que é um ótimo diretor, leva o filme numa boa, a não ser nas importantíssimas cenas de ação. Essas cenas, são mal-conduzidas, mal-dirigidas, mal-estruturadas e não provoca o mínimo de empolgação. Christian Bale é simplesmente péssimo, e o elenco tem poucos destaques. Mesmo assim, com o que restou do filme, ele consegue ser eficaz ao seu modo.
–> Como não percebi isso antes?
–> E ainda assim, acredito que tudo isso será superado em “The Dark Knight”. Assim espero.
Nota: 7/10

 

Juno:
Após muito tempo esparando para assistí-lo, finalmente pude ver “Juno”. Eu tinha ouvido muitas pessoas falando que o filme não merecia ter sido indicado ao Oscar, isso e aquilo. Nem acredito que dei ouvidos. “Juno” é simplesmente encantador, suave, sensível, ágil, inteligente e alternativo. Ellen Page está FANTÁSTICA no complexo papel de Juno e consegue literalmente incorporar a personagem. O roteiro é genial e rechado de cultura inútil. Jennifer Garner me surpreendeu e a trilha sonora é deliciosa.
–> Simplesmente imperdível!
Nota: 9.0/10

Menina Má.com
Apesar do título mal traduzido, o filme é muito bom. Completamente sensorial, ele lhe estimula á um estado de tortura psicológica como poucas vezes visto no cinema. O roteiro não é perfeito, mas é agil e complexo ao seu modo. Numa direção corajosa, aqule momento torna-se o mais perto do real, através e câmeras indiscretas e uma fotograia bem realista. Ellen Page esta ótima, e juntamente com seu papel em “Juno”, ela torna-se uma das melhores atrizes de sua geração. Sangue frio, sede de reviravolta, e mãos à obra.
Nota: 8.5/10

 

Até lá.
Anúncios